Buscar
  • Filmes do Mato

Entrevista com Pedro Vianna

Nosso protagonista no filme "A vida é coisa que segue", Pedro Vianna, tinha apenas seis anos na época das filmagens do curta-metragem e fez uma atuação brilhante como Luiz, um menino que vai buscar pão e gosta de ouvir histórias. 

Na etapa de pré-produção Pedro passou até por um corte de cabelo, devido ao fato de "A vida é coisa que segue" ser um filme de época. Ao lado do preparador de elenco Marco Andrade, Pedro conheceu os outros participantes do elenco e pode ir se ambientando com as falas e gestos que combinavam com a proposta do filme. 

Para Pedro esta etapa foi bem simples. Sobre a sua preparação para o papel de Luiz ele afirma: "Me contaram a história do filme e eu conheci meu personagem.", e de fato assim foi. No set Pedro se mostrou um ator prestativo e dava muitíssima atenção as indicações de Bruna Schelb Corrêa, diretora do filme. 


Pedro e a diretora Bruna Schelb Corrêa no set do filme "A vida é coisa que segue"

Foto de Felipe Monteiro


No figurino feito sob medida por Isadora Martins, Pedro passou a conhecer as locações de Santana de Cataguases, cidade onde o filme foi realizado. Gravações foram realizadas em frente à prefeitura do município, em duas casas bem antigas e em uma estrada com uma vista maravilhosa. As cenas ali gravadas eram aquelas em que Luiz ia até a padaria e estava em contato com a natureza, brincando com terra, plantinhas e até com a poeira!


Still para o pôster do filme. Foto de Caio Deziderio


Segundo Pedro "Todas as cenas foram divertidas de fazer! A cena mais difícil de fazer foi a que tive que comprar pães!". A cena a que Pedro se refere é a cena em que ele e Carlos Sérgio Bittencourt contracenam e Pedro teve que ficar bem quietinho ouvindo a história que vocês podem conferir no filme. Carlos Sérgio interpreta o Padeiro Madeira e o causo que ele conta fez tanto sucesso que já teve gente assistindo ao filme de novo só pra ouvir tudo outra vez!

Agora dividimos com vocês um segredo dos bastidores: as gravações representaram muitas descobertas para Pedro. Primeira vez como protagonista, primeira vez na cidade de Santana, primeira vez em um filme de época e… primeira vez andando a cavalo! 


Pedro em momento de descontração no set do filme

Foto de Felipe Monteiro


Supervisionado pela mãe, Laura, que esteve presente durante todas as diárias de gravação, Pedro teve a oportunidade de dar um passeio com seu amigo João, dono de uma das locações. No final de uma das diárias Pedro e João passearam pelo quintal da fazenda no cavalo mais mansinho que mora ali.

Logo na estréia do filme Pedro recebeu no 7º Festival Ver e Fazer Filmes um Prêmio Especial do Júri Técnico por sua atuação no curta-metragem. "Ganhar o prêmio foi maravilhoso!! Parecia que eu estava em outro mundo." Acrescenta ainda que "Trabalhar com a diretora Bruna foi uma experiência que marcou minha vida, ela me fez me sentir confiante." E essa confiança a que Pedro se refere fica visível no filme: por onde quer que "A vida é coisa que segue" passa Pedro recebe elogios. 


Pedro recebendo o Prêmio Especial do Júri durante o 7º Festival Ver e Fazer Filmes.

Foto Augusto Marquito


Sobre o futuro, Pedro diz que quer fazer "filmes de luta" e que deseja "sempre fazer o papel principal." Por fim, acrescenta que quer participar de mais realizações da Filmes do Mato: "quero participar de mais filmes com a Bruna e o Luis!". Vida longa, portanto, ao trabalho de Pedro dentro do Cinema Nacional! A Filmes do Mato faz votos ao sucesso de nosso querido ator!

O curta-metragem "A vida é coisa que segue" (2019) já foi agraciado com os seguintes prêmios:

  • Melhor filme pelo Júri Popular (7° Festival Ver e Fazer Filmes - Cataguases - MG);

  • Melhor filme pelo Júri Técnico (7° Festival Ver e Fazer Filmes - Cataguases - MG);

  • Melhor filme pelo Júri Popular: Mostra Criancine (13º Festival Internacional de Curtas Taquary - Taquaritinga do Norte - PE)

  • Melhor Produção (7° Festival Ver e Fazer Filmes - Cataguases - MG);

  • Melhor Montagem (7° Festival Ver e Fazer Filmes - Cataguases - MG);

  • Melhor Som (7° Festival Ver e Fazer Filmes - Cataguases - MG);

  • Prêmio Especial do Júri para Pedro Vianna (7° Festival Ver e Fazer Filmes - Cataguases - MG);

  • Melhor direção de arte (2° Festival Intersessões - Ubá - MG).

  • Melhor figurino (13º Festival Internacional de Curtas Taquary - Taquaritinga do Norte - PE)

  • Menção honrosa no Laboratório de Roteiros Luzes da Cidade (Primeiro Plano – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades 2017)

Filmes do Mato, 2020. Cataguases/Juiz de Fora - MG, BR - contato@filmesdomato.com.br